Quem sou eu


Nasci com alma de artista: aos 10 anos estudava dança e música, mas parei a dança porque queria me dedicar mais à música. Depois me arrependi muito dessa escolha...

Aos 18 fui fazer matemática na UERJ (coisa de gente séria, né?!). Mais tarde, parei o curso de piano no penúltimo ano porque queria me dedicar mais à faculdade, já que a "música não ia dar futuro mesmo...". Mais tarde, me arrependi ainda mais dessa escolha...

Terminei a faculdade e queria estudar Biomatemática ou Engenharia Biomédica, mas eu precisava trabalhar e não podia mais me dar ao luxo de fazer escolhas. Fui lecionar matemática para turmas de todas as idades: frustração total para alguém que não consegue fazer nada mal feito e tem que se submeter às mentiras de um país cuja educação já está falida há muitos anos e caminha cada vez mais para o caos. Eu continuava (e continuo) acreditando na educação como o único e o melhor caminho a ser seguido por quem deseja se tornar um cidadão de verdade, mas já não acreditava mais nessa educação brasileira que aí se apresenta.

Mesmo assim, tentei até quando foi possível: fui fazer pós graduação em Educação Matemática na UFRJ e dei um jeito de inserir a música em minha prática de sala de aula: minha monografia foi sobre as relações entre matemática e música e como isso poderia ser trabalhado em sala de aula. Nessa época eu lecionava nas redes pública e privada do Rio de Janeiro. Trabalhava numa escola particular linda, com alunos fofos que fizeram valer a pena meus quase 15 anos de sala de aula. Tirei nota máxima na monografia, apresentei-a num encontro do Projeto Fundão, a escola foi citada no trabalho mas a dona da escola não deu a menor importância. Foi quando resolvi dar ouvidos à minha orientadora, Professora Doutora Cláudia Segadas. Um dia conversando com ela sobre colegas da turma que só reclamavam, ela me disse: "Eu acho que a educação está muito ruim, mas se a pessoa está tão insatisfeita assim, tem que mudar de profissão." Foi o que eu fiz. Cláudia, suas palavras ecoam em meus ouvidos até hoje.

Em 2006, disposta a ser eu de verdade, rumei fazer outra coisa de que sempre gostei: fui estudar estética no Senac - Rio. Apaixonei totaaaal!!!!!!! Minha tácita inclinação para o belo veio à tona e passei a cuidar de peles e corpos com a mesma delicadeza que o piano exigia de mim: tenho (o mesmo) respeito e cuidado (que o artista tem com sua arte) com as pessoas que se entregam às minhas mãos.

Em maio de 2007, grávida de 4 meses precisei interromper o curso pois minha gestação exigia de mim dedicação exclusiva pelo repouso absoluto. Na semana em que minha filha nascia, minha turma se formava... Consegui terminar a maior parte do curso que equivalia à Estética Facial.

Com o nascimento da Sophia, nasceu em mim uma pessoa que jamais pensei que pudesse ser e resolvi maternar em tempo integral. Aos 7 meses Sophia apresentou alergia às proteínas do leite de vaca e soja. Aí, aproveitando meu tempo integral de mãe intensa, mergulhei fundo nas pesquisas sobre alimentos e comidinhas sem leite e sem soja. Foi aí que surgiu o Comidinha da Mamãe. Cozinhar também sempre foi uma paixão, de modos que eu adoooooooreeeeeeeeii esse tempo em que me dediquei muito à cozinha, tanto que quase fui fazer Gastronomia (rsrsrs). Só não fui porque eu queria muuuuuito terminar o curso de Estética. A nova meta é terminar Estética, fazer Nutrição e depois pós em Nutrição Estética. Assim posso unir duas áreas que amo!

Em 2010 nos mudamos pra Brasília (terra do marido Cleiton) e, no ano passado, retomei o curso de Estética. Este ano, finalmente, terminarei meu curso. Graças!

Atualmente escrevo aqui, no Angelica Brasil Estética e Beleza, trabalho como Esteticista no Lótus Spa Club, coordeno as redes sociais do Spa, escrevo no blog do Spa e sou a distribuidora exclusiva da Stetic Line e da Samana aqui no DF. Essa sou eu: sei bem o quero, mas sou multi! Quem disse que a gente tem que gostar de uma coisa só?!

No mais, to aqui tentando viver minha vida comum, cheia de percalços, mas mergulhada em amor e dedicação. Sou muito passional e não consigo fazer nada se não estiver imersa e submersa em amor pelo que faço. To tentando cuidar dos passarinhos, da flor, de quem eu amo e de quem mais chegar.

É isso! Puxa a cadeira que o chá tá servido! Aqui e por onde passo só desejo estar em paz: Paz e Comunhão! Preciso demais de tudo isso!!!



Angelica Brasil